quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Programa de Gestão Ambiental nas Empresas abre ciclo de palestras com debate sobre abastecimento de água


Foram iniciadas na manhã desta terça-feira (26), no Auditório do Departamento de Psicologia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), as atividades do ciclo de palestras sobre gestão da água na Paraíba, promovido pelo Programa de Gestão Ambiental nas Empresas (PGAMEM), desenvolvido pelo Centro de Ciências e Tecnologia (CCT). A primeira exposição teve como tema “Gestão do abastecimento de água a partir do Acude de Boqueirão: realidade e perspectivas da Cagepa”, proferida pelo engenheiro e gerente regional do órgão estadual, Ronaldo Menezes.

O encontro reuniu estudantes dos cursos de Engenharia Sanitária, Licenciatura em Química, Biologia, Geografia, Farmácia e Química Industrial com o propósito de ampliar o debate sobre a situação hídrica de Campina Grande e região, bem como apresentar aos alunos da UEPB uma visão prática sobre os conceitos trabalhados em sala de aula. Nesta primeira palestra, proferida pelo engenheiro Ronaldo Menezes, foram abordadas várias questões relacionadas à crise hídrica enfrentada pela cidade de Campina Grande e demais municípios que são abastecidos pelo Açude Epitácio Pessoa, construído em Boqueirão.

Dentro da explanação do regente regional da Cagepa Borborema, o ano de 2011 foi o último momento de cheia no manancial. De lá para cá, foram sucessivos períodos de seca que culminaram com a chegada do volume de água em apenas 2,9% do seu total, que corresponde a cerca de 12 milhões de metros cúbicos, uma vez que o reservatório tem capacidade para armazenar 411 milhões de metros cúbicos de água.

“Em 18 de abril deste ano, o volume do açude caiu para 11.974.060 metros cúbicos, a menor marca da história. Posteriormente, o reservatório foi ganhando recarga após a chegada das águas da transposição do Rio São Francisco, através do Rio Paraíba. Hoje (terça-feira) nós estamos com 35.381.983 de metros cúbicos, o que corresponde a 8,6% do volume total. Na prática, tivemos um aumento de 5,05 metros na lâmina, uma vez que tivemos um aporte hídrico de 23.407.923 metros cúbicos”, explicou Ronaldo.

Dentro de suas considerações, ele ainda fez referências às questões históricas relacionadas à construção do açude, os avanços na captação de água, tomada de fundo, utilização de bombas flutuantes, construção das adutoras que transportam a água até os municípios atendidos, além de como é feito o tratamento e a distribuição da água, principalmente para a cidade de Campina Grande, maior localidade de destinação da água contida no reservatório de Boqueirão.

Sobre o aprofundamento dessas questões abordadas na palestra, o professor Antonio Augusto Pereira de Sousa, coordenador do PGAMEM, afirmou que são em momentos como esse que surgem as oportunidades para tratar de casos reais com os alunos para que a formação acadêmica tenha mais condições de oferecer melhores alternativas e possibilidades de debates sobre casos concretos. Ele afirmou que o Programa oferecerá, até o ano que vem, um total de 10 encontros para promover maior integração entre as atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas na Instituição.

“Atualmente, temos 11 projetos de extensão, 12 projetos no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e na área de ensino vamos trabalhar esse ciclo de palestras em comemoração aos 10 anos do PGAMEM, em que a gente visa aproximar da realidade do mercado uma demanda que está existindo para contextualizar aqui dentro da Universidade. A UEPB tem que se aproximar com o que o mercado está exigindo. Por isso, estamos trazendo palestrantes do setor empresarial, acadêmico, de serviços e comércio para apresentar uma visão sistêmica daquilo que a universidade pode atender com seus graduandos, com seus projetos de pesquisa e de extensão”, explicou professor Antonio Augusto.

Dando continuidade ao ciclo de palestras promovidas pelo PGAMEM, o segundo encontro está programado para o dia 16 de outubro, das 15h, no Auditório III da Central de Integração Acadêmica, e terá como tema “Desenvolvimento Tecnológico, Pesquisa e Inovação: realidade e perspectiva na Paraíba”. Desta vez, a palestrante será a cientista da Computação, com doutorado em Engenharia Elétrica, Francilene Procópio Garcia.

Para William de Paiva, professor da UEPB e integrante do PGAMEM, os temas escolhidos para os eventos são atuais e cada vez com mais possibilidade de aprofundamento. “Os temas foram escolhidos para termos uma visão acadêmica sobre tudo que se passa na sociedade. A demanda hídrica de Campina Grande, por exemplo, sempre deve ser debatida por se tratar de elemento de primeira necessidade. É desta forma que o PGAMEM está promovendo o ciclo de palestras, que deve abordar toda a questão hídrica, numa visão de quem vivencia a realidade dos fatos,  implicação tecnológica, as alternativas de mercado e muitas outras questões.


Nenhum comentário:

Postar um comentário