quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Benjamin vota favorável ao voto majoritário para as eleições de 2018 e 2020


O deputado federal Benjamin Maranhão (SD) votou favorável ao voto majoritário para deputados federais e estaduais e para vereadores nas eleições de 2018 e 2020. A matéria foi aprovada no final da noite da quarta-feira (9), durante reunião da Comissão Especial que trata da reforma política na PEC 77/03.

Durante a reunião, por meio de uma emenda apresentada pelo deputado Miro Teixeira, foi incluído na proposta do relator, deputado Vicente Candido (PT-SP). A emenda aprovada por 17 votos contra 15 já valerá para as eleições do ano que vem, caso o texto seja confirmado pelo Plenário.

 “Nós aprovamos o sistema majoritário que vai fazer com que, efetivamente, aqueles que tiverem mais votos sejam eleitos nas próximas eleições. Isso vai solucionar um antigo problema que era a desproporção causada pelo antigo sistema, onde se votava em um candidato e esses votos eram computados para uma legenda ou coligação. Com isso, muitas vezes, candidatos com nenhuma representatividade eram eleitos”, destacou o deputado.

Pelo voto majoritário, são eleitos para o Legislativo os candidatos mais votados em uma determinada região do País. Não serão levados em conta os votos recebidos pelo conjunto dos candidatos do partido, como é o sistema proporcional adotado hoje.

Pelo texto aprovado na comissão, a partir de 2022, o sistema para eleição no Legislativo será distrital misto, em que metade dos deputados federais e estaduais e dos vereadores serão eleitos pelo sistema de listas e metade pelo voto majoritário distrital. O voto majoritário, portanto, será um modelo de transição ao sistema distrital misto.

“Eu creio que essa aprovação foi um avanço. Nós estamos lutando agora para que seja abolido definitivamente o financiamento privado de campanha, que é o que está presente no relatório. O que nós queremos é dar uma resposta a sociedade fazendo uma eleição com mais transparência e menos influência do poder econômico no resultado eleitoral”, afirmou Benjamin.

Nenhum comentário:

Postar um comentário